ISSN electrónico: 2007-8951
Volumen 49/ Número 193, abril-junio 2018

Zonas Económicas Especiais e impacto sobre o desenvolvimento económico regional

Fernando Gómez Zaldívar, Edmundo Molina

No presente artigo, se faz uma revisão sistemática da literatura internacional relacionada ao impacto que o modelo das Zonas Econômicas Especiais (SEZ) teve no desenvolvimento econômico regional. Através da identificação, avaliação crítica e integração dos estudos mais relevantes e de alta qualidade no assunto, as condições básicas de sucesso e falha na implementação deste modelo de política industrial são identificadas e os principais resultados são discutidos considerando as características dos estados no México nos quais serão implementados.

Mots clés: zonas económicas especiais, desenvolvimento regional, política industrial, investimento estrangeira direto, revisão da literatura.

Creatividade, eficiência e concentração espacial em México

Rafael Borrayo, Luis Quintana

A competitividade regional muda de forma estreita com a evolução da produção e, na atualidade, com maior frequência, ela tem ligação com a criação e a inovação. Nos diferentes tipos de estudos sobre o tema, se considera a concentração espacial da criatividade como um motor da produtividade, contudo, poucas vezes se logra quantificar a dimensão desta relação. Através de uma análise de fronteira de produção estocástica, se avalia os níveis de eficiência técnica e produtividade das 59 zonas metropolitanas (ZMs) do México e se mensura a contribuição das atividades criativas localizadas nelas.

Mots clés: zonas metropolitanas, competitividade regional, eficiência técnica e produtividade, modelos de fronteira de produção e de eficiência.

Spillover das exportações industriais em países de América Latina

Marco Antonio Márquez

No contexto de abertura comercial, as economias de América Latina se esforçaram para explorar as vantagens comparativas e se inserir nos processos produtivos mundiais; a pesar que exportações da indústria mostrem sinais de crescimento, também foram impactadas modestamente no aumento do produto nas economias latinas. O objetivo deste trabalho é determinar a influência das exportações industriais sobre o nível de produto de seis países latino-americanos com o modelo de insumo-produto e a teoria de redes. A hipótese busca provar que em todas as transações, o spillover das exportações do setor industrial de cada país é mais diversificado quanto mais se comercializa com Estados Unidos, apesar de que é fraco devido a uma baixa articulação estrutural de cada um de eles.

Mots clés: América Latina, exportações, setor industrial, comércio, teoria de redes, multiplicadores de Miyazawa.


Impacto das franquias no desenvolvimento

Cintya Lanchimba, Daniela Medina

Dentro da literatura sobre franchising, alguns estudos têm sido dedicados ao impacto das franquias no crescimento econômico, concentrando-se mais nesse aspecto em vez do desenvolvimento, embora pesquisas empíricas tenham concluído que a franquia tem influência no crescimento econômico. Além disso, alguns artigos destacaram a importância e a influência da franquia no desenvolvimento, mas nenhuma evidência empírica foi fornecida em seu verdadeira influencia. É neste contexto que se fornece evidência empírica que mostra a relação entre franquias e desenvolvimento.

Mots clés: franquias, desenvolvimento econômico, organização industrial, estudos empíricos, América Latina.


Gestão da Pemex como empresa produtiva do Estado

Angélica Tacuba, Luis Augusto Chávez

Três anos após a Reforma Energética de 2014, é realizado o presente estudo exploratório sobre o desempenho de Petróleos Mexicanos (Pemex) como Empresa Produtiva do Estado (EPE). A análise consiste em duas partes: a primeira é uma revisão dos pressupostos da reforma, do diagnóstico feito no setor de hidrocarbonetos e as soluções e instrumentos implantados com base nas mudanças legais e no novo modelo operacional da Pemex. Enquanto, no segundo, é feita uma avaliação do progresso ou das contradições na gestão da Pemex EPE, em relação às premissas originais da reforma. Os resultados sinalizam importantes pendencias na área de Governança Corporativa, regime fiscal e associações e contratos no setor petrolífero.

Mots clés: reforma energética, hidrocarbonetos, empresa paraestatal, investimento privado, regime tributário.


Obesidade e saúde pública no México: transformação do padrão hegemônico de oferta e demanda de alimentos

Felipe Torres, Agustín Rojas

O sobrepeso e a obesidade representam um problema de saúde pública que afeta o desenvolvimento econômico do México. O seu estudo a partir da abordagem médico-epidemiológica agora é insuficiente devido à sua magnitude e os múltiplos fatores que que os originam. Portanto, é necessário incorporar a perspectiva econômica na análise de forma que se localize suas causas estruturais, de acordo com as modalidades de consumo de alimentos que compõem um padrão hegemônico de oferta-demanda imposto pela globalização de mercados que transgredem os padrões locais. A evidência empírica mostra que a transição de uma dieta tradicional para uma industrializada com alto teor de açúcares e farinhas refinadas influencia a atual prevalência do problema de saúde pública.

Mots clés: consumo de alimentos, oferta-demanda, sobrepeso e obesidade, indústria de alimentos, saúde pública.


Abordagem crítica das principais teorias sobre mudanças tecnológicas

Yasmani Jimenez-Barrera

Este artigo pesquisa as principais teorias e abordagens sobre a mudança tecnológica, com o objetivo de demonstrar a validade dos conceitos de Karl Marx nas discussões contemporâneas. Metodologicamente, as teorias neoclássicas e neoschumpeterianas foram unificadas, sob a abordagem convencional, sobre a mudança tecnológica, mesmo sabendo as diferenças entre as duas; enquanto na concepção marxista prevalecem as análises de Marx sobre outros autores. O contraste entre as duas perspectivas teóricas foi desenvolvido com base em quatro variáveis fundamentais, a saber: 1) o caráter sistêmico, 2) a natureza da mudança tecnológica, 3) a atitude em relação ao processo inovador e 4) o escopo explicativo em torno ao crescimento e ao processo de desenvolvimento.

Mots clés: mudança tecnológica, teorias neoclássicas e neoschumpeteriana, teoria marxista, acumulação capitalista.